Gotas de agonia

Em relatos recentes, ouvi um pouco de tudo. É notório e notável que somos muito diferentes e que é mais fácil achar solução para o problema dos outros do que para os nossos. Algo que nos une em nossas diferenças e que achei mágico em ter uma tardia, porém, importante constatação, é de que todos queremos ser felizes. Queremos amar e sermos amados. Isto é fato.

Mas, na vida aparecem as frustrações, que nos fazem agonizar em nós mesmos. Isto é tão cruel. É como uma morte a conta gotas, quando já não se reconhece nada do que é bom e tudo evolui para uma depressão contínua. Para uma amargura renovada em todo amanhecer. Para um choro incontrolável, que não verte lágrimas, mas machuca por dentro, cavando buracos intermináveis. E sentimentos sem compaixão chegam como aprisionamento. Há uma perseguição de pensamentos, que descompassam e destróem. Auto-destróem.

E eu ainda digo que é preciso entrar. Sentar. E sentir-se à vontade com a gente mesmo. Sentir vontades de transformar. De mostrar para tudo isto que aprisiona, que a felicidade é livre. Que ela brilha diante de um céu. Seja de noite ou de dia. Ela é gigante, embora pareça tão pequena e distante.

É preciso sentir a vida pulsando. É preciso ouvir-se. Aquela voz da gente que pede socorro e, de tão fraquejante, é preciso silenciar-se para poder escutá-la. Há sempre solução. Não há dias em vão. Não há suspiros, soluços, respiração que não tenha um motivo. O que não se deve é entregar-se às lacunas e ficar sempre no vazio de tudo. Sempre esvaziando-se do que faz bem e enchendo-se de amargura.

Acorde. Cante uma música. Dentro de si. Repare-se. Para o amanhecer. Para o entardecer. Para a noite. Seja seu travesseiro. Seu veleiro. Sua vitória. Namastê!

Imagem

Anúncios

5 comentários sobre “Gotas de agonia

  1. Lidar com as dores, frustrações, perdas são desafios irrevogáveis para quem pretende estar vivo, né mesmo? rsrs. Ás vezes no turbilhão da há situações que nos provocam mais a nossa elevação e os nossos valores que a gente já desenvolveu ou que estão de alguma forma adormecidos… buscarmos em nós essa ‘força’ é realmente essencial… Adorei o texto! beijos 🙂

    1. Salve Yve! Obrigada!
      De fato, todas as experiências e situações nos trazem, por menores que sejam, aprendizados. E, nesta jornada, é preciso mesmo ter força como você disse. E esta força é a nossa grande aliada nas intempéries da vida.
      Beijo,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s