Arrebentando casulos

Já passei por algumas fases. Teve aquela das pontuações, de ir ganhando tudo. Depois, de ir perdendo as vidinhas e, finalmente, “game over”. É horrível quando a gente está num jogo, porém, há a permissão de tentar de novo. Há jogos, inclusive, que você pode recomeçar de onde parou. E a vida? Dá para recomeçar de onde paramos?

Fiquei pensando nisto. Ué, por que não? Às vezes a gente para no tempo, se fecha num casulo esquisito e acha que, se resguardando do mundo lá fora, tudo fica bem. O problema é que acontece o contrário, já que o nosso mundo de dentro está em redemoinho, derrubando tudo, destruindo o pouco que nos resta de tudo que fôra de melhor. A gente perde a compaixão.

Algumas fases já não são as mesmas, é verdade. Até porque tudo evoluiu. O mundo lá fora evoluiu e pode ser que a gente não tenha acompanhado a “evolução” no mesmo ritmo. Até porque a nossa evolução é única. E depende de cada um de nós. Daquele momento decisivo: do start, que nos leva para onde sempre quisermos estar. Lógico que o tempo passou, mas começar de onde paramos não significa voltar no tempo. Mas, permitir-se sentir o que ficou no limbo do descaso, das decepções, das angústias criadas por ilusões.

Por vezes, a gente para em algumas fases também. Estanca. Mas, é preciso tentar de novo, agora com aquele élan de conseguir ultrapassar. Não dá para viver uma vida em depressão, não é? Não dá para chorar todos os dias. Maldizer a vida e culpabilizar os outros pelo sofrimento da gente. Não há culpados, porém, se a gente acreditar que fulano é, mesmo que não seja real, ele será… Quem decide o que vai sentir somos nós. Então, está na hora de mudar a “chavezinha” e desligar tudo o que é ruim. Para religar os bons sentimentos, o amor próprio, perdido em tantas bobagens. É hora de abraçar-se. Pedir perdão para si mesmo. Arrebentar o casulo e sair da escuridão. Já que a luz é tudo o que se quer e tudo que se pediu. Ao universo. A Deus. E Ele nunca falha… Namastê!

Imagem

 

 

Anúncios

4 comentários sobre “Arrebentando casulos

  1. Monica, encontrei em vários textos que você publicou, conforto para varias situações que tenho passado, como este dos casulos por exemplo, é maravilhoso poder encontrar pensamento tão parecidos com os meus de forma mais completa é claro.
    agradeço por compartilhar isso e gerar sensações de conforto em mim.

    1. Oi Dalila! Que lindo o que vc escreveu! Senti uma otima energia! Muito obrigada! Esteja sempre por aqui e que muitas coisas boas continuem florescendo com cada palavra aqui escrita. Namaste, querida! Bjo,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s