Saudade?

A saudade adormeceu ao meu lado. Talvez tenha sonhado. Levantou-se, sem descanso. Continuou a companhia. Era noite ou dia.   Já era conhecida Das lidas aborrecidas, Das coisas que não se esquece. Talvez me enobrece.   E não adianta apagá-la, Tentar mensurá-la. Onde está não se mata. Onde está se avizinha.   De tudo que … Mais Saudade?

Alento

Procurava o silêncio das horas calmas, enquanto não havia tempo nem para perder o juízo. Procurava alento nas linhas disformes dos escritos antigos. Haveria abrigo? Nas rotas de fuga, um caminho tortuoso. Nunca era tão fácil quanto deveria. Nunca era tão perto quanto poderia. Nunca era sempre muito tempo. Nas estradas, paisagens conhecidas. Emoções requentadas … Mais Alento

No encalço

Esperei o dia certo. Saí em sua busca. Mas as coisas andavam errado. Parada brusca.   Uma pista para seguir, À risca. Talvez para confundir “Arrisca”!   Tentei um recomeço, Daqueles que não tem preço. Só para te encontrar. Abraçar.   Sofri no caminho, Da angústia de te perder. Da ternura, carinho, Que não sei … Mais No encalço

De aluguel

Estou me pondo em aluguel. Por um mês. Dois, três. Aceito pagamento adiantado. Cartão de crédito, cheque. O que vier. Quanto puder. Quem quiser. Não tenho corretor. Nem imobiliária. Nem seguro fiança. Nem desconfiança. Não sei de negócios. Não tenho propósitos. Quero me alugar. Viajar. Para fora de mim. Distância. Por um mês. Dois, três. … Mais De aluguel

No branco e preto

Andei por tanta parte para ver se te encontrava. Mas, confesso, não olhei direito. Me atraí por outras coisas. Paisagens, paragens, sabores, odores. Experimentei tantas coisas para ver se te sentia. Mas, confesso, não experimentei direito. Não me saciava em mim. Destruí o que havia construído só para ver se te inventava. Mas, confesso, não … Mais No branco e preto