Alento

Procurava o silêncio das horas calmas, enquanto não havia tempo nem para perder o juízo.

Procurava alento nas linhas disformes dos escritos antigos. Haveria abrigo?

Nas rotas de fuga, um caminho tortuoso.

Nunca era tão fácil quanto deveria.

Nunca era tão perto quanto poderia.

Nunca era sempre muito tempo.

Nas estradas, paisagens conhecidas.

Emoções requentadas nas memórias que não se perderam.

Um dia mais na viagem.

Um dia que não acabava.

Um dia de emoções revividas, nos vazios propositais que todo mundo tem.

M. Kikuti

Imagem

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s