Escuro

Houve um dia de versos perdidos.

Músicas sem melodia.

Choro sem lágrimas.

Houve um dia que era noite.

Um escuro do escuro.

Um embate.

Uma luta contra as dores invisíveis.

Criadas, recriadas. Procriadas aos montes.

Houve uma luz.

Diminuta, mas potente.

Única em si mesmo, mas fundamental.

Brilhante e sensível.

Irradiante.

Que acabou com o escuro.

Combateu as sombras.

Trevas convalescentes.

Só olhando-lhe pela fresta.

Aberta.

Por dentro.

E fechada por fora.

M. Kikuti

 

Imagem

 

 

Anúncios

Um comentário sobre “Escuro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s