Sem medida

Há alegrias que não se mensuram.

Não há medida.

Não há régua.

Não há regra.

Há alegrias que permanecem.

Preenchendo espaços.

Dissipando vazios.

Há alegrias que chegam com choro.

Lágrimas que não salgam.

Adocicam.

Cessam dores.

Há alegrias que são tudo.

Nos momentos em que não se sabe se era o fim.

Ou o começo.

De uma (nova) história.

M. Kikuti

Imagem

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s