Nas mãos

Não tenho respostas. Não tenho questões. Só um desejo nas mãos. Para entregar ou deixar cair. Não há momento. Não há tempo. Entregar ou deixar no chão? Segurei na mão. Não soltei. Por um tempo. Até o momento. Pela força do pensamento. Segurei. Delicadamente. A inocência não se perde. Se acalenta na mão. Que segura. … Mais Nas mãos

Para girar o mundo

Tenho meia hora ou um minuto. Vou girar o mundo. Transformar o que é meu. Dizer o que até então não deu. Eu poderia ter dito tanta coisa… Mas, não quis. Eu poderia ter escrito. Mas, me fugiu. Sumiu. Retirei a exatidão das coisas. Coloquei um pouco de magia. Para girar o mundo. Abri a … Mais Para girar o mundo

Ouvi

Em silêncio, ouvi a voz dos sentidos. Era doce. Ouvi as frases que queria dizer. Eram plenas. Ouvi os murmúrios contidos. Eram muitos. Ouvi o barulho de sentimentos. Era ebulição. Ouvi a respiração. Era profunda. Ouvi a inspiração. Era incontida. Ouvi um chiado. Era eu. Ouvi um pedido. Era meu. Ouvi o que tinha. Era … Mais Ouvi

Retransformado

Enquanto venta gelado, me retransformo no que sempre fui. Tive saudade, é verdade. Mas, a luz aclarou. Iluminou por dentro e por fora. Mandou embora os desatinos. Daqueles que sempre tive. E destes que sempre haverá. Mas, agora não é a hora. Não me pergunte por quê. Mas me dê respostas. Não seja insolente. Não … Mais Retransformado

Meia volta

O céu estava rosa como as flores de manhã. O café na mesa à espera do primeiro gole. Amargo. O sorriso emoldurado era só retrato. Descolorido. O lago reluzia o reflexo do dia. Quem veria? Nos passos rápidos, um caminho trilhado. Distante do conhecido. Distante de si. Toque um fá. Dê ré. Volte uma hora. … Mais Meia volta