Desfavoreça – Coluna nº 83

As palavras trazem uma inquietude única quando nos tiram do conforto do óbvio ou trazem a representação subjetiva de algo que não se imaginava. Presto atenção nelas e em como são empregadas nas conversas cotidianas, sobretudo, nesta era de mensagens instantâneas, sentimentos instantâneos e, por vezes, desedificantes. Uma destas me trouxe a redescoberta de um … Mais Desfavoreça – Coluna nº 83

O carcereiro

O medo fazia frio, aquietando sentimentos calorosos em pleno inverno. O medo era vento gelado aniquilando a paixão juvenil em tempos de maturidade. Dos amores de inverno, não houve nenhum. Foram todos sequestrados para as prisões do “improvável”, na cela ao lado do “impossível”, onde não havia cadeado nem tranca. Com olhar impiedoso, o medo … Mais O carcereiro

Por um dia

Por um dia, as rosas vermelhas ficaram intactas. Havia aroma. Havia cor. Havia amor. Por um dia. As luzes coloridas refletiam pensamentos. Poás por todo o lugar. Por um dia. Havia magnetismo. Havia emoção. Havia canto e voz doce. Por um dia. Na chuva, todos os pingos nos “is”. Todas as idas e todas as … Mais Por um dia

Não e não

Não quero uma vida chata, com horário para rir e para chorar. Com horário para voltar e permissão de poder ir. Não quero a insatisfação recorrente, que chega como visita inesperada na hora da saída. Não quero a crueldade do ponto final nas frases escritas ou nas que foram editadamente ditas, mudando o sujeito, o … Mais Não e não