Custa muito, meu irmão

POR MÔNICA KIKUTI

A fatia de atenção
entrou na contramão.
Atenção não tem fatia.
Me diga não!

Que custa esquecer?
Custa muito… Sabe não!
Custa labuta interna
Custa fadiga, meu irmão.

Não quero mais saber.
Vou tentar esmorecer.
Diga não de vez.
Que aqui não há talvez.

Que custa esquecer?
Custa muito…. Sabe não!
Custa labuta interna
Custa fadiga, meu irmão.

O vento beijou-me o rosto
Eu achei que era encosto
Enquanto via fugidia
quem mais eu queria.

Preste atenção que o tempo passa
E eu não quero mais trapaça.
Não quero nada mais que um não
Porque um sim é ilusão.

Que custa esquecer?
Custa muito… Sabe não!
Custa labuta interna
Custa fadiga, meu irmão

time_passing

Anúncios

2 comentários sobre “Custa muito, meu irmão

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s