Salga e umedece

Parece que tudo borbulha e depois o vazio chega. Ameaça. São as angústias do dia a dia, que ninguém sabe muito bem como contê-las. Vamos aprendendo a conta gotas, sob erros e acertos. Infinitas possibilidades. Na chuva, cada pingo preenche. Encharca a roupa. Umedece a pele. No rosto, cada lágrima suaviza a dor. Incha os … Mais Salga e umedece

Duas faces

O tempo tem duas faces: a sórdida e a acalentadora. Por vezes, as duas ao mesmo tempo…. Maldito tempo que me destrói com a saudade da minha mãe, da sua risada, dos seus ditados, das nossas viagens… Bendito tempo que me reconstrói os pedaços, que me faz esquecer de quem me feriu, que me recompõe … Mais Duas faces

Espelho da alma

Por um triz o tempo parou. Eu ri das minhas coisas. Ri de mim e das minhas risadas, num gozo incontido da graciosidade de viver. Esqueço das coisas que me machucaram. As farpas foram retiradas e algumas cicatrizes persistem, embora sejam apenas marcas da vida que vem sendo vivida, com tudo o que se tem … Mais Espelho da alma

Eu me anoiteço

Eu amanheci com as coisas que nunca morrem. Lembrei, me emocionei. Enchi os olhos, preenchi meus vazios. Até quando eu não sei… As flores que eu não dei, me observam com a ternura de pertencimento. São minhas. Como as que meu pai colhia pra mim, com a paciência que ele não tinha. Eu me anoiteço … Mais Eu me anoiteço

Em riste

A orfandade mexe com a gente. Azeda, desanda. É o leite deixado ao sol do meio-dia e que coalha irremediável. Eu já fui melhor do que isto. Me transgredi no que sou e no que fui. Me tornei algo de mim que esteve lá no final e que estava desde o começo; como um casulo … Mais Em riste